https://deco.casafaricrm.com/ContentFiles/6894/1669723453_0.jpg?quality=80&mode=crop

10 dicas para fotografar imóveis para vender ou arrendar

Boas imagens da casa ajudam a vender. Ao seguir estas 10 dicas está a melhorar a promoção do seu imóvel e, naturalmente, a aumentar a probabilidade de o vender mais rápido.

Os olhos também comem. Por isso, apresentar a casa que pretende vender ou arrendar tão atrativa quanto possível é meio caminho andado para o sucesso. Atualmente, os compradores pesquisam em primeiro lugar na Internet, em particular nos agregadores de vendas de imóveis online. Destacar-se da restante oferta é, por isso, fundamental.

1. Opte por uma boa câmara

Se pretende fotografar a casa para vender, em primeiro lugar deve naturalmente ter uma boa máquina fotográfica ou um smartphone com uma boa câmara. Convém usar tripé e cuidar da iluminação.

Caso não tenha o equipamento adequado (ou jeito para a fotografia) pode sempre pedir a um amigo ou familiar que lhe empreste o dispositivo ou que tire as fotografias.

Lembre-se de que, se recorrer a uma imobiliária para a venda do imóvel, é habitual que esta ofereça uma sessão fotográfica. Afinal, também é do interesse dos vendedores promover o imóvel e transacioná-lo tão rápido quanto possível.

2. Um sítio para cada coisa, cada coisa no seu sítio

Antes de começar a sessão, tenha atenção à arrumação e à limpeza da casa. A organização torna as fotografias mais apelativas, pelo que, se a casa estiver mobilada, convém ter o mínimo de elementos de distração.

Para facilitar a tarefa, lembre-se de que só se vê o que está à frente da câmara... Acredite que, atrás da máquina, estão não só o fotógrafo, mas também imensos itens retirados do seu local habitual.

3. Despersonalize a casa

É fundamental retirar objetos pessoais do campo de visão. É o caso das suas molduras com fotografias da família ou amigos, por onde deve começar. Depois, recolha tudo o que provoque ruído visual, como as escovas de dentes, na casa de banho.

Desloque a mobília, se necessário, para criar espaços convidativos, inclua detalhes cativantes como plantas ou flores e não deixe os móveis vazios. 

4. Cuide da iluminação para realçar o espaço

A casa deve ser fotografada durante o dia, com tempo descoberto e luz natural. O ambiente fica mais uniforme e contínuo. Nos espaços interiores, sem janelas, poderão ser necessários equipamentos adicionais de iluminação.

Para os espaços com luz natural, recomenda-se adiar a sessão caso as condições atmosféricas não proporcionem boas fotos. É possível tirar boas fotografias à noite, mas provavelmente irá precisar de um fotógrafo profissional.

E já agora: cuidado com a sua própria sombra! Não deverá aparecer.

5. Opte por ângulos tão largos quanto possível

Quando fotografar, poderá optar por uma objetiva grande angular para melhorar a visualização do ambiente. É particularmente importante para espaços mais reduzidos. Não se esqueça de focar a imagem. A máquina não sabe qual é o seu objetivo.

6. Jogue com a simetria e as perspetivas

Deve ter atenção a pequenos detalhes que, no dia-a-dia, passam despercebidos. A simetria é um dos aspetos. Por exemplo, se tiver uma janela aberta, deve ser de par em par. Um conjunto de sofás, tapete e televisão ou lareira devem ficar bem posicionados e alinhados, por exemplo, com portas ou janelas.

Tirar as fotografias a cerca de um metro e sessenta do chão permite que quem as vê fique com uma ideia mais aproximada da realidade. Adicionalmente, pode fotografar de outros ângulos e alturas.

Atenção às linhas verticais e horizontais. As linhas verticais da fotografia devem estar alinhadas com as paredes. As linhas horizontais têm de ser paralelas ao teto e ao chão.

7. Fotografe todos os detalhes possíveis

Com verá no final do artigo, quantas mais fotografias, melhor. Deverá por isso fotografar todos os recantos que possam ter algum tipo de mais-valia. Uma vista, o interior de algum roupeiro ou de espaços de arrumação.

Concentre-se no que a casa tem de positivo. Um bom chão? Uma boa vista? Uma lareira? Um walking closet? Janelas oscilo-batentes (abrem na totalidade ou apenas por cima, evitando acidentes com crianças ou animais).

Destaque os elementos que nem todas as casas têm. Quem procura casa irá em busca deles.

8. Mostre todas as divisões e também os espaços exteriores

Muita gente verá as suas fotografias de forma superficial, mas alguns irão olhar com mais detalhe e vão procurar elementos que consideram imprescindíveis. Para uns poderá ser um local para máquinas de lavar e secar, para outros um walking closet ou muitos roupeiros, para outros uma varanda ou um terraço. 

Poderá ainda destacar uma suite (quarto com casa-de-banho), a orientação solar a sul ou os espaços verdes em redor do imóvel. Sem esquecer a arrecadação e a garagem. Todos os espaços contam. Afinal, está a competir com todos os outros vendedores de casas.

9. Faça uma sequência lógica

Quando publicar finalmente as fotografias, ordene-as numa sequência lógica. Imagine que está a mostrar presencialmente a sua casa. Por onde começaria? O que mostraria de seguida? Deverá ser essa a sequência, com destaque para o espaço mais nobre. Poderá vender a casa apenas por causa dessa primeira fotografia que capta de imediato a atenção do potencial comprador.

10. Melhore o posicionamento nos rankings dos motores de busca online

Quanto mais fotografias, vídeos e até som (por exemplo, música ambiente) incluir, mais bem classificado ficará o seu imóvel nos rankings dos motores de busca de imobiliário. As visitas virtuais também cativam, em especial, aqueles que já têm o seu imóvel entre os favoritos.

Lembre-se de que muitas pessoas não passam para a segunda página quando fazem pesquisas na Internet. De facto, 75% não passam sequer da primeira página de resultados em motores de busca generalistas. Nos sites de imobiliário, o número não será muito diferente. É fundamental estar bem posicionado.

Mas não caia na tentação de repetir fotografias. Nem os motores de busca gostam, nem os potenciais compradores ou arrendatários querem perder tempo.